top of page

Blog Crítica Prática

MARXISMO, TEORIA DO CONHECIMENTO E EDUCAÇÃO 2a Edição



O programa de leituras delimitado e a direção do estudo:


O curso está dividido em 02 partes.

Na primeira unidade, estudamos na fonte os pressupostos ontológicos, gnosiológicos, teleológicos e axiológicos que norteiam a concepção materialista e dialética da história. Na segunda parte, passamos a estudar com mais atenção o modo como o marxismo vai fazer a crítica da educação e do ensino próprias do capitalismo e como vai desenvolver os rudimentos de uma educação voltada aos interesse da classe trabalhadora. Na primeira parte, vamos trabalhar com os Manuscritos Econômico-Filosóficos, de Marx, com A ideologia alemã, escrita por Marx e Engels, com o Manifesto do Partido Comunista, de Marx e Engels; com um extrato dos Grundrisse, publicado por Marx como Contribuição à Crítica da Economia Política, com as obras de Engels Anti Duhring, Dialética da Natureza, Do socialismo utópico ao socialismo científico e Ludwig Feuerbach e o fim da filosofia clássica alemã, e com a obra de Lenin Materialismo e empiriocriticismo, buscando: (a) os pressupostos básicos da Concepção Materialista e Dialética da História enquanto teoria do conhecimento que porta uma concepção do que é o homem e como ele apreende e age no mundo; (b) a compreensão do modo como o marxismo explica a relação da produção da existência com a produção e a transmissão do conhecimento; (c) a explicação que Engels oferece sobre as condições históricas e os processos que permitiram a produção da Concepção Materialista e Dialética da História.

Na segunda unidade, passamos ao estudo mais detido, a partir de comentaristas, do modo como Marx e Engels vão fazer a crítica da educação e do ensino no capitalismo e como vão ser produzidos os rudimentos de uma educação voltada para os interesses revolucionários da classe trabalhadora. Trabalhamos, então, com a seleção de textos de Roger Dangeville, enfocando, especificamente, o enfoque da educação e do ensino na obra de Marx e Engels.


Questões norteadoras para as leituras:


Na incursão pelas obras de Marx e Engels, seguiremos orientados pelo seguinte conjunto de questões:

ü Em qual conjuntura e qual o processo histórico que possibilita a Marx e a Engels desenvolverem a Concepção Materialista e Dialética da História? Qual teoria do conhecimento decorre deste movimento teórico e quais as implicações objetivas desta teoria do conhecimento para a apreensão da realidade? Qual a realidade que se apresenta neste processo? Quais as implicações específicas para a educação?

ü Quais os pressupostos ontológicos, gnosiológicos, teleológicos e axiológicos que vão se estruturando a partir dos estudos, da intervenção prática e da crítica que Marx e Engels vão desenvolvendo “a tudo o que há” e como se articulam teoricamente estes pressupostos?

O objetivo da avaliação, a ser feita por fichamentos e trabalho final, é apreender o quanto o processo de trabalho pedagógico permitiu cumprir os objetivos propostos para a disciplina: a apropriação dos princípios da concepção materialista e dialética da história como decorrência das demandas conjunturais do século XIX. A disciplina vai exigir dos estudantes uma carga de leituras razoável que ultrapassa as leituras indicadas para cada aula, com destaque especial para a obra de Erick Hobsbawm, e os textos de Paulo Netto e Florestan Fernandes. Estamos exigindo os fichamentos e o trabalho final, mas o papel dos fichamentos é, exclusivamente, disciplinar as leituras marcando o pulso dos estudos.

Nossa meta é reconhecer o marxismo pelas mãos dos seus fundadores, acompanhando as questões que os estão movimentando, e, neste processo, as respostas que vão elaborando para os grandes debates colocados, mas, mais que tudo, apreendendo que a teoria não foi desenvolvida pela teoria em si mesma, mas pela necessidade objetiva assumida subjetivamente de apreender o tempo e as possibilidades de ação que nele estavam colocadas. Para Marx e Engels o século XIX apresenta-se, pela primeira vez na história da humanidade, como uma janela aberta pelo desenvolvimento das forças produtivas e, a partir delas, das relações de produção, para a produção de um novo modo de produção da existência na qual a humanidade, superando a sua pré-história, passasse a gerir o seu futuro viabilizando de cada um conforme a sua capacidade, a cada um conforme a sua necessidade: o modo de produção comunista.


Programa e Cronograma de Leituras:


Unidade I: Concepção Materialista e Dialética da História

Aula 1 – Aula Inaugural – Apresentação do Programa do Curso e indicação das opções teórico-metodológicas norteadoras da proposta.

Aula 2 – 1843 – Marx – Crítica da filosofia do direito de Hegel;

Aula 3 – 1844 – Marx – A questão judaica;

Aula 4 – 1844 – Marx – O trabalho estranhado (Manuscritos);

Aula 5 – 1845 – Marx e Engels – A sagrada família;

Aula 6 – 1847 – Marx – A Miséria da Filosofia;

Aula 7 – 1846/1847 – Feuerbach – A ideologia Alemã;

Aula 8 – 1848 – Marx e Engels – Manifesto do Partido Comunista

Aula 9 – 1859 – Marx – Contribuição à Crítica da Economia Política – Prefácio e capítulo sobre o Método da Economia Política;

Aula 10 – 1867 – Marx – O capital (Prefácios; Capítulo 1; Capítulo 5; Capítulo VIII; Capítulo XI; Capítulo XII; Capítulo XIII; Capítulo XXIV).

Aula 11 – 1867 – Marx – O capital (Prefácios; Capítulo 1; Capítulo 5; Capítulo VIII; Capítulo XI; Capítulo XII; Capítulo XIII; Capítulo XXIV).

Aula 12 – 1877 – Engels – Anti Duhring;

Aula 13 – 1878-1882 – Engels – Dialética da Natureza;

Aula 14 – 1880 – Engels – Do socialismo utópico ao socialismo científico;

Aula 15 – 1886 – Engels – Ludwig Feuerbach e o fim da filosofia clássica alemã;

Aula 16 – 1908 – Lenin – Materialismo e Empiriocriticismo;


Unidade II: A teoria Pedagógica que decorre da Concepção Materialista e Dialética da História

a. A crítica da educação e do ensino;

Aula 17 – s/d – Dangeville – Crítica da Educação e do Ensino;


Referências Bibliográficas:


DANGEVILLE, Roger. Marx e Engels: Crítica da Educação e do ensino. Editora Moraes: s/i, s/d.

ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

ENGELS, F. A Origem da família, da propriedade privada e do Estado. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

ENGELS, F. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2008.

ENGELS, F. Anti-Duhring. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

ENGELS, F. Dialética da natureza. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

ENGELS, F. Ludwig Feuerbach e o fim da filosofia clássica alemã. São Paulo: Alfa Omega, s/d.

ENGELS, F. Origem da família, da propriedade privada e do Estado. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995.

LENIN, V. I. Materialismo e empiriocriticismo. São Paulo: Mandacaru, 1990.

MARX, K. A miséria da filosofia. São Paulo: Global, 1985.

MARX, K. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, 2005.

MARX, K. Grundrisse. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004.

MARX, K. Miséria da Filosofia. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

MARX, K. Sobre a questão judaica. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, K; ENEGLS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MARX, K; ENGELS, F. A sagrada família. São Paulo: Boitempo, 2003.

MARX, K; ENGELS, F. Marxist Internet Archives: Seção em Português. Disponível em: http://www.marxists.org/portugues/marx/index.htm Acesso em 10/05/2012

MARX, K; ENGELS, F. Obras Escolhidas. São Paulo: Alfa Omega, s/d.


Textos de Apoio:

ANDERSON, P. Considerações sobre o marxismo ocidental. São Paulo: Brasiliense, 1989.

BOTTOMORE, T. Dicionário do pensamento marxista. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

FERNANDES, Florestan: História. São Paulo: Ática, 1989.

GABRIEL, Mary. Amor e capital. Zahar: Rio de Janeiro, 2013.

HOBSBAWM, Erick. A era das revoluções. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

HOBSBAWM, Erick. A era dos impérios. São Paulo: Paz e Terra, 1993.

PAULO NETTO, José. Introdução. In: MARX, Karl. Miséria da filosofia. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

PAULO NETTO, José. O leitor de Marx. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

LENIN, V. I. U. As três fontes e as três partes constitutivas do marxismo. São Paulo: Global, 1978.

LOMBARDI, J. C. Educação e ensino na obra de Marx e Engels. Campinas: Alínea, 2011.

MANACORDA, M. A. Marx e a pedagogia moderna. Campinas: Alínea, 2007.

SOUSA JUNIOR. Justino de. Marx e a crítica da educação. Aparecida, SP: Idéias e Letras, 2010.


Material de Apoio:

Curso “O Método em Marx” – José Paulo Netto – You Tube.

8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page