top of page

Blog Crítica Prática

MENSAGEM DE SAUDAÇÃO AO RECÉM-NASCIDO GERMINATE!

Bom dia, aos que participam do lançamento do Grupo de Estudos e Pesquisas Marxismo, Formação e Educação FísicaGerminate e do Livro Marxismo e Políticas de Trabalho e Educação no Campus de Castanhal da UFPA.

Os que lutam para manter acesas as chamas de um projeto de superação das relações de produção capitalistas, os que reivindicam o socialismo científico, os comunistas, não podem deixar de comemorar o lançamento de um novo grupo reivindicando o marxismo.

Esta tradição iniciada com a obra de Marx e Engels, é herdeira da luta da humanidade pela superação de todo o ideário que explica nossa existência mundana à luz de fantasmagorias, do imponderável, do espírito absoluto nas mais variadas formas que assume.

O marxismo de Marx e Engels avança no e do combate às tradições idealistas, para a produção de um método de investigação da história da humanidade que afirma a possibilidade do conhecimento, que afirma a possibilidade de produzirmos teorias verdadeiras sobre a realidade que existe fora das nossas consciências, tornando-nos capazes de projetar nossa ação transformadora do mundo na direção das nossas necessidades mais radicais.

A tradição iniciada com Marx e Engels, herdeira do socialismo utópico e fundadora do socialismo científico, alinha-se ao que há de mais avançado no desenvolvimento da capacidade humana para conhecer e transformar as realidades de acordo com os interesses e as necessidades daqueles que estão radicalmente oprimidos pelas relações de produção capitalistas: os trabalhadores.

Um grupo que reivindica a vasta tradição que surge daqueles primeiros passos dados por Marx e Engels no século XIX, que reivindica particularmente as correntes desta tradição que mantêm-se revolucionárias, é uma esperança numa Universidade controlada pelos interesses de mercado, que vira as costas para os lutadores do campo, ribeirinhos, das florestas, das indústrias, do comércio, da saúde, da educação, ou do imenso contingente de desempregados que têm interditado o direito humano implantado e reivindicado na sociedade burguesa de trabalhar para adquirir meios de vida.

Os marxistas devem obrigar-se a formar para uma leitura materialista e dialética do mundo! Uma leitura que parta do estudo das condições objetivas nas quais a classe trabalhadora vive nas contraditórias relações de produção capitalistas; que parta da crítica rigorosa do desenvolvimento das forças produtivas e das relações de produção que se desdobra neste momento de crise estrutural, para reconhecer tendências e possibilidades abertas à intervenção organizada dos trabalhadores para superar as cadeias radicais que nos sufocam no capitalismo, superando o próprio capitalismo.

Os professores Otávio Aranha e Marcelo Pereira estão assumindo este desafio no Campus de Castanhal da UFPA. São dois militantes que abraçaram trabalhar pela causa da classe trabalhadora brasileira. Dois importantes quadros comunistas na luta pela reorganização da classe trabalhadora brasileira e na luta por uma Universidade a serviço da classe trabalhadora! Seja bem-vindo o GERMINATE! Vida longa!






18 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page